terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Filth & Fury: Introdução

Cidadão,

Do cimo da Torre do Legado o Rei-Deus Zha'ul governa Uruzhaleyn com um punho de ferro e um olhar entorpecido no seu sono milenar, as suas serpentes flamejantes Sarap purificam cremando os infiéis e os dissidentes como se fossem cadáveres descartados, prendendo todos aqueles que ousem levantar a voz contra ele. Mais abaixo, as grandes guildas da cidade monopolizam toda a espécie de comércio, espezinhando cruelmente o pequeno trabalhador, ficando com todos os lucros e negando aumentos ao trabalhador comum, ou escravizando bairros inteiros para aumentar produções. Amigos denunciam amigos e vizinhos aos Malzhin a troco de uma protecção ténue, ou pelo lucro fácil e abjecto da venda para escravatura dos seus familiares por um pedaço de pão bolorento.

Cidadão,

Tu que vives na rua, que tens a tua família aprisionada, que sofres e passas fome, pergunta-te: é este o futuro que queres para ti?

Junta-te ao movimento para derrubar o Rei-Deus! Esta tirania não pode durar!

-panfleto publicitário do movimento Ira Imunda, antes da sua base ser invadida pelos Sarap e completamente carbonizada
Filth & Fury, ou Ira Imunda livremente traduzido, é um universo de fantasia arcaica que mistura mitologia semita com uma opressão corporativista moderna, que estamos a construir para o Sistema Solar. Numa visão mais simplificada, é um híbrido de Dark Sun e Bas-Lag, Transmetropolitan e V for Vendetta, Blade Runner, com uma boa dose das músicas dos Sex Pistols à mistura; The Filth and The Fury é, aliás, o nome de um video documentário sobre esta band punk inglesa.

Tem como base a cidade fictícia de Uruzhaleyn, que é vagamente inspirada na Jerusalém antiga, governada por um déspota chamado Zha'ul, também vagamente inspirado em Saúl, o primeiro rei de Israel, portanto a imagética geral será pintada com estes tons, muito babilónico, pré-cristão, semita, num passado alternativo anti-utópico recheado de opressão, violência, pobreza e miséria humana. Ao contrário de outros universos fantásticos de sufixo -punk, dominados pelo brilho reflexivo do crómio nos implantes cibernéticos dos seus personagens, com um foco maior na violência gratuita e combate de rufias, Filth & Fury foge deste preconceito e pretende colocar a questão: até onde se pode ir?

Neste espaço iremos construir este universo, contando com a vossa ajuda e os vossos comentários! Acompanhem-nos!

Citizen,

Atop the Tower of Legacy the God-King Zha’ul rules Uruzhaleyn with an iron fist and a numb look on his millennial sleep, his flaming guardian serpents Sarap purify the infidels and the dissidents by cremation as if they were discarded corpses, arresting all those who dare to raise their voices against him. Below, the major guilds of the city hold all kinds of trade, stepping cruelly on the working man, keeping all the profits and denying increases to the employee, or enslaving whole neighborhoods to increase production. Friends denounce friends and neighbors to the Malzhin in return for a tenuous veil of protection, or the despicable and easy profit from the sale of their family to slavery for a piece of moldy bread.

Citizen,

You who live on the street, you who have your family imprisoned, you who suffer and starve, ask yourself: is this the future you want?

Join the movement to overthrow the King-God! This tyranny can not last!

-pamphlet advertising the movement Filth and Fury, before its base was invaded by the Sarap and completely carbonized

--~~--

Filth & Fury, is a universe of archaic fantasy that mixes Semitic mythology with a modern corporate oppression, which we are building for the Solar System. In a more simplified view, is a hybrid of Dark Sun and Bas-Lag, Transmetropolitan and V for Vendetta, Blade Runner, adding a good dose of songs from Sex Pistols to the mix; The Filth and The Fury is also the name of a video documentary about the British punk band.

This is based on the fictional town of Uruzhaleyn, which is loosely inspired by the ancient Jerusalem, ruled by a tyrant named Zha'ul, also vaguely inspired by Saul, the first king of Israel, so the overall imagery will be painted with these tones, very Babylonian , Pre-Christian, Semitic, an alternative past anti-utopic full of oppression, violence, poverty and human misery. Unlike other fantastic universes with a -punk suffix, dominated by the reflective glow of chromium implants in their characters, with a greater focus on gratuitous violence and gang wars, Filth & Fury avoids this bias and raises the question: how far You can go?

In this space we will build this setting, with your help and your comments! Come with us!

2 comentários:

Remo disse...

Deveras interessante a proposta desta ambientação! Uma junção entre a fúria punk contra o Estado opressor e civilizações antigas como a hebraica ou a babilônica é algo que nunca me havia ocorrido -- e por isto fiquei positivamente impressionado.

Certamente acompanharei notícias futuras sobre isto.

Abraços.

-Remo "Shido Vicious"
www.dot20.com.br

Rui Anselmo disse...

Obrigado! Por falta de tempo e demasiadas ideias não tenho podido postar tanto como queria, mas brevemente irão surgir novidades no Filth & Fury! Acompanha-nos!